A Sua Vida é Uma Repetição


Você Sabe o Que É Sincronicidade

Cientistas deixam céticos irritados: ''A vida é eterna, reencarnação é um fato e existem outros mundos no universo'' ~ Sempre Questione - Notícias alternativas, ufologia, ciência e mais: Qualquer terapeuta regressionista já comprovou experimentalmente que a vida de todas as pessoas possuem repetições de fatos e circunstâncias. Ocorre que tais repetições são ocasionadas por elementos psíquicos e mentais quase sempre ignorado pelo indivíduo. Há um automatismo, uma certa mecanicidade impelindo as pessoas para certos eventos. Tais matrizes energéticas foram geradas em existências anteriores.

Dr. Morris Netherton, Ph.D, psicólogo regressionista americano em sua obra “Vidas Passadas Uma Abordagem Psicoterápica” (Summus Editorial, São Paulo, 1999) afirma que: “Nós não somos nada diferentes fora do corpo do que dentro dele, sem vontade de tirar proveito de nossa experiência “dentro do corpo”, repetimos nossos padrões fora do corpo, até encontrarmos um corpo para entrar que nos permitirá repetir os padrões de dentro do corpo novamente.” Necessitamos quebrar tais mecanismos psicomentais provocadores dessas repetições. A Regressão é uma ferramenta colaboradora para esse fim.

REPETIÇÕES E SINCRONICIDADE

Durante nossa existência nos deparamos com as mais diversas circunstâncias. Muitas delas, isto é, a maioria passa mecanicamente, sem que percebamos em seu núcleo algo especial ou determinada de novas situações.

Mas, há certos momentos nos quais nosso estado de consciência se altera, em que conseguimos nos dar conta de algo que se move no “interior” dessas situações.

Estar consciente da ligação entre nossa psique e os eventos externos é importante para detectarmos a expressão da mente Universal. Quando isso ocorre há um fenômeno denominado sincronicidade.

Para Jung SINCRONICIDADE é uma coincidência significativa que produz a ligação entre nossa mente e um evento exterior ou físico, no qual temos uma sensação de união entre o fato exterior e o interior. A sincronicidade demonstra o conceito da unidade de todas as coisas. Ao percebermos tal fenômeno verificamos que nada nem ninguém está isolado, mas que tudo está mergulhado no fluido universal da vida.

Normalmente, a maior parte das pessoas têm dificuldade em perceber e aceitar a sincronicidade, bem como outros fenômenos, porque estão presas à razão, ao intelecto. A percepção da totalidade ou unicidade de todas as coisas é próprio do lado criativo, intuitivo, emocional, pulsante dentro de cada ser humano

A sincronicidade ocorre no mundo mental e material simultaneamente. Podemos destacar alguns exemplos de sincronicidade. Ter um sonho e depois o vemos materializar-se no mundo físico. Estar andando por algum lugar pensando em alguém ou algo e de repente se depara com esse alguém ou algo. Estar com algum problema sem solução e repentinamente encontra alguém que imediatamente aponta uma solução sem sequer conhecer o conteúdo completo de nossa questão.

Continue reading


Por Que Você Só Usa Metade do Seu Cérebro?


Metades Cerebrais

Nos animais, de modo geral, as duas metades cerebrais são praticamente iguais ou simétricas funcionalmentEfeitos da Terapia Cognitivo-Comportamental no Cérebro: Um Estudo: e. No ser humano, entretanto, os hemisférios cerebrais desenvolveram-se assimétricos funcionalmente, ou seja, há um uso preferencial de uma mão ou outra, por exemplo.

A ciência sabe há mais de um século que as funções da linguagem localizam-se principalmente no hemisfério esquerdo da maioria das pessoas. Em termos percentuais é algo ao redor de 98% para os destros e 2% para os canhotos. Os pesquisadores chegaram a conclusão de que o hemisfério esquerdo do cérebro se especializa em funções referentes às palavras da linguagem. Essa conclusão foi possível devido a observação de que uma lesão no hemisfério esquerdo produzia uma perda acentuada da capacidade de fala do que o mesmo dano causado no hemisfério direito.

Está claro que as funções da fala e linguagem estão intimamente relacionadas com o pensamento, raciocínio e às funções cognitivas superiores que diferenciam os seres humanos de outros tipos de animais. Os fisiologistas do século XIX denominaram o hemisfério esquerdo de  DOMINANTE e o hemisfério direito de SUBORDINADO, não-dominante ou secundário.

Há muito tempo os fisiologistas debruçaram-se nos estudos de um espesso feixe nervoso composto de milhões de fibras que conectam os dois hemisférios cerebrais, ou seja, o corpo caloso. Devido a sua posição estratégica como interligador dos dois hemisférios acreditava-se ser essa enervação muito importante. Mas, as experiências demonstraram o contrário, pois o corpo caloso poderia ser cortado sem que houvesse nenhuma mudança significativa.

Dr. Roger W. Sperry (professor de psicobiologia, ganhador do Premio Nobel de Medicina e Fisiologia, em 1981) e seus alunos do Instituto de Tecnologia da Califórnia, EUA, procederam várias experiências com animais na década de 1950. Descobriram que as principais funções do corpo caloso era o de permitir a comunicação entre os dois hemisférios, facilitando a transmissão da memória e do aprendizado. Comprovou-se, também, que mesmo seccionando o feixe nervoso os dois hemisférios continuavam a operar independentemente, o que demonstrava, em parte a aparente ausência dos efeitos sobre a conduta e o funcionamento.

Continue reading


O Que a Terapia de Regressão Pode Fazer por Você- Parte 2


Terapia de Regressão (TVP): Benefícios e Vantagens

A teoria da reencarnação é um método de explicação da problemática convincente para o cliente.

Quando o indivíduo aceita a existência da lei do karma o processo de aceitação de seus males torna-se amenizado e suportável. Ele sabe que os seus sofriSign of past life: Fears and phobiasmentos foram gerados pelos seus próprios atos praticados no passado.

Partindo do ponto de vista de que a TVP utiliza as experiências de vidas passadas que ficaram retidas na memória do paciente, deduz-se que todos os outros métodos terapêuticos lidam com os efeitos. Pois as verdadeiras causas originais dos sintomas e enfermidades estão fora do seu alcance. Estamos nos referindo a doenças ou problemas originados  em precedentes reencarnações. Haja vista que há complicações orgânicas, emocionais ou sociais produzidas por inconsciência, imaturidade ou irresponsabilidade do indivíduo. Assim há problemas kármicos e não kármicos, embora a experiência tenha nos mostrado que a esmagadora  maioria dos sofrimentos humanos seja de origem kármica. Vale lembrar que o estudo do karma é complexo e profundo. Tirar conclusões precipitadas nesse tema é um desatino.

É possível superar o karma?? Afirmativo. Caso contrário não teria sentido a reencarnação e muito menos a TVP. Lembramos que o karma é energético ou quântico. O “quantum” gerado produz um dado efeito. Alterando-se a freqüência vibracional do “quantum” gerador muda-se o efeito. Cada ato, pensamento, palavra, sentimento ou qualquer ação produzida pelo homem ou pela mulher produz um “quantum”. A soma desses “quanta” (“quantuns”) se condensará em efeitos orgânicos, psíquicos, mentais, espirituais, sociais, econômicos, etc.

Alterando-se CONSCIENTEMENTE esses “quanta” (“quantuns”) muda-se o efeito, aliviando, superando ou eliminando os sofrimentos orgânicos, psíquicos, espirituais, sociais, econômicos, etc.

A TVP produz resultados mais estáveis e longos do que as psicoterapias usuais.

Qualquer psicólogo, psiquiatra ou analista sabe que a taxa de recaída dos pacientes tratados com as terapias convencionais é muito elevada. Na TVP a experiência de milhares de terapeutas regressionistas demonstra que os resultados positivos no tratamento são mais estáveis e longos. Confira nas obras de Netherton, Brian Weiss, Dethlefsen, Wiesendanger, etc.

Continue reading


O Que a Terapia de Regressão Pode Fazer por Você- Parte 1


Terapia de Regressão (TVP): Benefícios e Vantagens

A The Shanti Devi caseTVP demonstra ser capaz de aliviar os sofrimentos psíquicos, emocionais, e psicossomáticos.

Nossa experiência pessoal tem demonstrado até a  saciedade, a eficiência da aplicação da TVP em situações nas quais as características psicossomáticas desafiavam qualquer profissional clínico. Nem sempre a terapia regressiva resolve por completo o conflito, mas sempre ocorrerão alívios suficientes para permitir melhor relacionamento do paciente com ele mesmo ou com os demais.

A abrangência da TVP é, inegavelmente maior do que as terapias tradicionais. Em muitos casos demonstrou obter bons resultados em várias formas  crônicas de enfermidades na qual outros profissionais fracassaram.

No Departamento de Psicologia Clinica da Universidade de Munique, Alemanha, foi utilizada a terapia regressiva em 43 pacientes que procuraram ajuda deste setor. Um em cada dois pacientes tornaram-se inaptos para o trabalho por causa de suas enfermidades. Além do mais só podiam sair de casa acompanhados. Do grupo, 51% procuraram médicos, um terço usava rotineiramente  antidepressivos, 14% tinha sido internado em clinicas médicas e 25% já tinha sido submetidos a psicanálise durante vários anos. O resultado foi muito bom. O mais importante na terapia regressiva é que ela independe da teoria da reencarnação ser verdadeira ou não para o paciente. Há alguns incrédulos do processo reencarnatório obtendo melhores resultados do que aqueles que acreditam em vidas anteriores. É um paradoxo, entretanto a experiência prática de muitos profissionais regressivos demonstra isso irrefutavelmente.

A TVP é personalizada porque é o próprio cliente quem determina seus objetivos terapêuticos.

Dr. Perry London em sua obra intitulada “The Modes and Moral of Psychotherapy” – Os Modos e a Moral da Psicoterapia (Holt, Rinehart e Winston, Nova Iorque, 1964) afirma que: …”Ao contrário de um técnico, um psiquiatra ou psicólogo não pode evitar estimular seus pacientes com o seu próprio modelo de trabalho chegando até mesmo a impô-los. Em geral o paciente encontra-se em dificuldade para decidir como quer mudar o seu comportamento. Durante o diálogo com seu psiquiatra, seus desejos, suas carências se tornam mais evidentes. Por essa razão suas necessidades são descobertas na presença de uma pessoa que é considerada sábia e capacitada. Graças a isso a influência do psiquiatra sobre o paciente é muito significativa. Por fim o paciente passa a desejar muitas coisas que o psiquiatra  considera desejáveis.”.

Continue reading


O Que é Genética e Metagenética


Genética e Metagenética

DNA may be complicated, but it can still be understood by all. Look at some analogies, diagrams and science behind the molecule of life, DNA: Qualquer pessoa sensata, ao observar os fenômenos naturais, verificará  a presença da força repetitiva dos acontecimentos. Há  uma memória em cada fenômeno, ato ou fato cósmico. A memória registra a informação arquivando-a para futuras referências. No campo da Biologia, o ramo encarregado do estudo das leis de transmissão dos caracteres hereditários de um indivíduo e das propriedades dos elementos que asseguram essa transferência é denominado GENÉTICA. Em nosso caso, interessa-nos o estudo da genética humana.

A MEMÓRIA METAGENÉTICA refere-se a informações hereditárias arquivadas nas meta-estruturas genéticas, ou seja, nos gens humanos. Há muitos fenômenos ainda inaceitáveis pelo meio científico atual, contudo já descritos por milenares tradições de povos e culturas, além de exaustivamente comprovados por esoteristas e místicos iluminados. É exatamente sobre este último ponto que nos deteremos nesta lição. Antes de nos aprofunda
rmos no tema vejamos, sinteticamente, alguns elementos da reprodução humana e da Genética.

ÓVULO E ESPERMA:  ORIGEM HUMANA

Um novo ser humano é gerado quando ocorre a união de uma célula reprodutora masculina (o espermatozóide) com uma célula reprodutora feminina (o óvulo).

No decurso do ato sexual normal (fornicação) ocorre a ejaculação seminal masculina na vagina feminina. Em cada ejaculação, o homem perde milhões de sementes. A cada centímetro cúbico pode haver uns 100 milhões de espermatozóides. Numa emissão seminal são perdidos de 200 a 600 milhões de espermatozóides. O curioso é saber que somente um ou dois chegarão a fundir-se com o óvulo. Parece algo absurdo a perda de tantas sementes para que apenas uma ou duas gerem um novo ser.

Continue reading


O Que Podemos Dizer dos Meninos Prodígios?


Reencarnação: Pesquisa Tecno-científica

É claro que para um rigoroso estudo científico do fenômeno reencarnatório é indispensável desenvolver recursos técnicos.  O método mais comum que os pesquisadores usam é o indutivo.  Esse fundamenta-se em observar os fatos, reunindo-os em volume tal que admitam a elaboração de hipóteses e se estabelecer leis em princípios gerais que permitam a compreensão dos fenômenos observados.

A metolSigns of past lifeogia científica para o estudo da reencarnação utiliza basicamente três sistemas fundamentais: histórico, jurídico e o psiquiátrico.

O método histórico atêm-se a avaliação descritiva sob a veracidade das narrativas tendo como base e fundo os fatos históricos registrados e documentados.

O método jurídico baseia-se na avaliação das terminologias, forma expressiva do pensamento e coerência científica dos fatos descritos pelo reencarnado.  É óbvio que tudo exige do pesquisador vasto material para comparação.

O método psiquiátrico fundamenta-se na reconstituição de fatos ocorridos com a correspondente reação e manifestação na esfera do pensamento e sentimento sem as reações psicossomáticas detectáveis.

A metodologia científica é a única aceita por alguns pesquisadores acadêmicos, mas nem tudo é excessivamente exigente além de demorar e quase sempre ser muito cara.

Se os nossos homens de ciência obtivessem êxito no despertar de suas faculdades paranormais como a visão extra-retina (clarividência), estado ecossomático (viagem astral) percepção extra-auditiva (clarividência), intelecção iluminada (intuição precisa), telepatia, etc, a pesquisa seguiria um curso muito mais produtivo e com um índice de precisão surpreendente.  Qualquer pessoa pode desenvolver suas faculdades internas, basta para isso se dedicar incansavelmente certos exercícios esotéricos.  Em nosso curso Saber é Poder ensinamos mais de uma centena de práticas milenares para o crescimento e florescimento dos poderes paranormais.

Continue reading


Como Percebemos as Vidas Passadas


Percepção de Cenas, Dramas e Tragédias de Passadas Existências

Todas as pessoas percebem as cenas, dramas e tragédias de passadas existências do mesmo modo? A resposta é NÃO.

A experiência prática tem demonstrado que a percepção das vidas passadas são tão variadas quanto a opinião das mulheres acerca da moda. A visão das cenas podem vir desde clarões multicoloridos até a sensação de perfumes, vento, emoções e muito mais. As cenas podem ser preto e branco, multicoloridas, ricas ou pobres em detalhes simples, complexas, etc.. Assim, temos uma grande escala de percepção visual, auditiva, tátil, olfativa e de paladar.

Sign of past life: Dreams and nightmares

Existem dois fatores causadores da grande variedade de percepção. O primeiro refere-se ao nível vibracional das ondas cerebrais alfa, aliás, esse tema será enfocado em lições posteriores. O segundo, está associado ao nível de consciência. É exatamente acerca desse tópico que nos deteremos a estudar nessa lição.

Diferentes Percepções

O tema consciência será abordado por diferentes ângulos. Não nos deteremos apenas no caráter acadêmico ou psicológico. Vamos enfocá-lo sob o ponto de vista metafísico, filosófico, místico e esotérico.

Dr. Thorwald Dethlefsen, psicólogo de Munique, Alemanha, em sua obra “A Regressão a Vidas Passadas como Método de Cura” (Pensamento, São Paulo, 1997), afirma: “…o processo de conscientização nada mais é do que rever, observar e trazer à consciência um fato outrora desagradável e que foi reprimido”.  Com essa citação vemos que uma das chaves fundamentais da TVP é o processo de conscientização ou percepção conscientiva dos fatos e ocorrências do passado. Todos os fenômenos ocorridos em nossa existência, estando encarnado ou não ficam indelevelmente gravado em nossa consciência. Sob o ponto de vista esotérico sabemos que em nossa consciência há a memória do Universo desde seu surgimento na aurora da criação, entretanto, são raros os seres humanos que têm acesso a esse banco de dados tão primitivo.

O Dr. Joel L. Whitton, M.D., Ph.D., professor de psiquiatria e o jornalista Joe Fisher, no livro “Vida-Transição-Vida” postulam um estado de consciência denominado metaconsciência. Vejamos um trecho no qual o conceito é abordado:

“Esse estado abençoado, que o Dr. Whitton chamou de metaconsciência, pode ser definido como a percepção de uma realidade além de qualquer estado conhecido de existência. Ele difere dos estados de sonho, das experiências extracorpóreas, do reviver de vidas passadas e de todos os outros estados alterados de consciência. Ser metaconsciente é fundir-se na quintessência da existência, ceder no sentido da identidade para, paradoxalmente, tornar-se mais auto-consciente de um modo mais intenso. Ser metaconsciente é estar livre de constrangimentos corporais, sentir-se em unidade com o universo, tornar-se uma nuvem dentro de uma nuvem sem fim. E embora isso possa sugerir uma atmosfera de vazio, de flutuação de nuvens de algodão, a vida entre a vida não é um mundo como o dos contos de fada. Os que provaram suas riquezas sabem que visitaram a realidade definitiva, o plano da consciência de onde embarcamos em sucessivas experiências de encarnação e para onde voltamos quando da morte do corpo”.

Na verdade a consciência é um tipo de energia integrante do ser humano. É preciso saber que no homem e na mulher existem sete tipos básicos de energias. Os sete níveis possuem vários outros sub-níveis.

Continue reading


Você Sabe o Que é Déjà Vu


Repetições da Vida

Qualquer terapeuta regressionista já comprovou experimentalmente que a vida de todas as pessoas possuem repetições de fatos e circunstâncias. Ocorre que tais repetições são ocasionadas por elementos psíquicos e mentais quase sempre ignorado pelo indivíduo. Há um automatismo, uma certa mecanicidade impelindo as pessoas para certos eventos. Tais matrizes energéticas foram geradas em existências anteriores.

Dr. Morris Netherton, Ph.D, psicólogo regressionista americano em sua obra “Vidas Passadas Uma Abordagem Psicoterápica” (Summus Editorial, São Paulo, 1999) afirma que: “Nós não somos nada diferentes fora do corpo do que dentro dele, sem vontade de tirar proveito de nossa experiência “dentro do corpo”, repetimos nossos padrões fora do corpo, até encontrarmos um corpo para entrar que nos permitirá repetir os padrões de dentro do corpo novamente.” Necessitamos quebrar tais mecanismos psicomentais provocadores dessas repetições. A Regressão é uma ferramenta colaboradora para esse fim.

REPETIÇÕES E SINCRONICIDADE

Time Mapping Installation Reveals Human Movement | athenna-design | Web Design | Design de Comunicação Em Foz do Iguaçu | Web Marketing | Paraná: Durante nossa existência nos deparamos com as mais diversas circunstâncias. Muitas delas, isto é, a maioria passa mecanicamente, sem que percebamos em seu núcleo algo especial ou determinada de novas situações.

Mas, há certos momentos nos quais nosso estado de consciência se altera, em que conseguimos nos dar conta de algo que se move no “interior” dessas situações.

Estar consciente da ligação entre nossa psique e os eventos externos é importante para detectarmos a expressão da mente Universal. Quando isso ocorre há um fenômeno denominado sincronicidade.

Para Jung SINCRONICIDADE é uma coincidência significativa que produz a ligação entre nossa mente e um evento exterior ou físico, no qual temos uma sensação de união entre o fato exterior e o interior. A sincronicidade demonstra o conceito da unidade de todas as coisas. Ao percebermos tal fenômeno verificamos que nada nem ninguém está isolado, mas que tudo está mergulhado no fluido universal da vida.

Normalmente, a maior parte das pessoas têm dificuldade em perceber e aceitar a sincronicidade, bem como outros fenômenos, porque estão presas à razão, ao intelecto. A percepção da totalidade ou unicidade de todas as coisas é próprio do lado criativo, intuitivo, emocional, pulsante dentro de cada ser humano

A sincronicidade ocorre no mundo mental e material simultaneamente. Podemos destacar alguns exemplos de sincronicidade. Ter um sonho e depois o vemos materializar-se no mundo físico. Estar andando por algum lugar pensando em alguém ou algo e de repente se depara com esse alguém ou algo. Estar com algum problema sem solução e repentinamente encontra alguém que imediatamente aponta uma solução sem sequer conhecer o conteúdo completo de nossa questão.

Continue reading


O Que Acontece Entre as Encarnações Terrestres?


O Que Acontece Entre as Encarnações Terrestres

A experiência prática da TVP ou Regressão tem demonstrado que o intervalo entre um nascimento em um corpo físico e outro é tão variado e rico como a vida material nesse mundo material.

É óbvio que há vida para a consciênciaExiste reencarnação?: desencorporada. É preciso ir estudando o tema com  muita prudência e sensatez para evitarmos elocubrações inconsistentes ou fantasiosas. O Livro Tibetano dos Mortos explica acerca da consciência desencarnada. Vejamos um pequeno trecho:

“…você não tem corpo físico de carne e sangue, assim, quaisquer que sejam as ocorrências de sons, de cores e de raios de luz, elas não podem machucá-lo e você não pode morrer… Saiba que este é o estado bardo.”

Dr. Rudolf Steiner, foi médico e fundador do Movimento Antroposófico, escreveu vários livros dentre os quais extraímos o seguinte:

“A vida entre a morte e um novo nascimento é tão rica e tão variada como a vida aqui entre o nascimento e a morte…”

A obra sacra Katha Upanishad da Índia, que remonta do século VI a.C., declara:

“O Eu… não morre quando o corpo morre. Oculto no coração de todas as coisas está o atma, o Espírito, o Eu; menor do que o menor dos átomos, maior do que o maior dos espaços.”

A antiga Grécia produziu inúmeros filósofos, dentre eles destacamos a Plutarco. O sábio deixou as seguintes palavras em uma de suas obras:

“Toda alma… é ordenada a vagar entre as encarnações na região entre a Lua e a Terra…”

Poderíamos citar dezenas ou centenas de afirmações de filósofos, sábios, obras clássicas, etc. acerca da imortalidade da alma, mas as apresentadas acima são suficientes para nos levar a reflexão sobre a continuidade existencial da alma ou consciência. Continue reading


Vida Além da Morte: O Que Diz a Ciência


Vida Além da Morte

Você tem medo da morte? Por que você teme a morte? Será que o temor à morte vai impedi-la de nos atingir? Se você só leu as perguntas e não as respondeu PARE e… responda!

Certamente você já deve ter perdido algum parente querido, mas lembre-se que a morte é um fenômeno que chegará a todos nós, quer sejamos cultos ou não, ricos ou pobres, lavradores ou cientistas. A morte iguala a todos, indistintamente.

Ora, como a morte é um acontecimento ao qual não escaparemos, vamos estudá-la com seriedade e profundidade.

EXPERIÊNCIA DE SWEDENBORG

Emanuel Swedenborg nasceu em Estocolmo em 1688 e morreu em 1772. Escreveu sobre Anatomia, Fisiologia e Psicologia, além de deixar uma vasta contribuição literária.

Seus relatos sobre a morte são muito interessantes. Vejamos alguns trechos:

“O homem, quando morre, apenas passa de um mundo para outro”.

Swedenborg diz que passou pela morte aparente e descreve experiências fora do corpo.

“Fui conduzido ao estado de insensibilidade dos sentidos corporais, por isto, quase ao ponto da morte; porém, a vida interior, com o pensamento, permaneceu íntegra. Devido a isto, percebi e retive na memória todas as experiências dos que são ressuscitados dos mortos…”.

Diz o filósofo que durante suas experiências encontrou seres que se identificavam como anjos.

“Estes anjos perguntaram-me primeiro qual era meu pensamento, se era como o pensamento dos que morrem, que é geralmente sobre a vida eterna…”.

Para Swedenborg, o recém-morto não sabe que está, de fato, morto, porque ainda percebe seu corpo energético de forma muito semelhante ao corpo físico.

“O primeiro estado do homem depois da morte é semelhante ao seu estado no mundo, pois na ocasião é como se ele ainda estivesse em exterioridade… Por isso, não tem outro meio de saber que ainda está no mundo”.

Continue reading