Sua Personalidade e Suas Doenças


Tipo de Personalidade e Tipos de Doenças

O tipo de personalidade favorece mais a certos tipos de doenças? Essa é uma pergunta que os médicos, psicólogos e psiquiatras vêm tentando responder. A idéia não é nova. Até mesmo Hipócrates, pai da Medicina, já traçava um paralelo entre as enfermidades e os temperamentos.

O QUE É PERSONALIDADE

Para entendermos as tendências patológicas a certas enfermidades é preciso compreender o que vem a ser a personalidade.

Menina Mulher Emoções Expressões MulheresPara a Psicologia a personalidade é a soma dos traços, hábitos e experiências de uma pessoa. A própria ciência ainda não tem uma definição aceita universalmente, entretanto considera-se, em geral, os seguintes aspectos: temperamento, inteligência, emoção e motivação.

A noção de temperamento origina-se na antiga teoria dos quatro humores. Este divide os indivíduos em quatro classes: coléricos, melancólicos, sangüíneos e fleumáticos. Essa classificação reflete diferenças da natureza e da velocidade das reações de cada um. Por exemplo, certas pessoas ficam iradas com facilidade, enquanto outras são tranqüilas e reagem lentamente.

A inteligência define as capacidades de uma pessoa em comparação com norma teórica, ao passo que emoção e motivação descrevem sentimentos, ligações com os demais, padrões morais e aspirações.

O desenvolvimento da personalidade parece depender da interação de dois fatores básicos: a hereditariedade e o meio ambiente. A hereditariedade refere-se a certas qualidades inatas da pessoa. O meio ambiente influencia nas experiências de vida que afetam os modos de pensar e comportar-se do indivíduo.

IDENTIFICANDO TENDÊNCIAS

O biótipo de cada pessoa pode indicar  predisposição a certos tipos de doenças. Uma pessoa alta, magra, de peito estreito é mais predisposta a tuberculose do que um tipo brevilíneo, isto é, baixo, ombros largos e robusto. Entretanto, este é mais vulnerável a uma hemorragia cerebral.

Continue reading


Você Sabe Usar sua Imaginação


A Imaginação Operando Maravilhas

A Imaginação é um poder fantástico à disposição de todos os seres humanos, contudo pouquíssimos sabem usá-la adequadamente.  Podemos distinguir duas classes de imaginação:  a CONSCIENTE  e a  MECÂNICA.  Vejamos a primeira.

IMAGINAÇÃO CONSCIENTE

A IMAGINAÇÃO CONSCIENTE é uma função superlativa da CONSCIÊNCIA. Para o autêntico sábio, IMAGINAR É VER. A imaginação é uma forma de percepção da alma. Para ser alcançada é necessário aprender a CONCENTRAR-SE EM UMA SÓ COISA. Aquele que aprende a centrar o pensamento em um único objetivo poderá alcançar verdadeiros prodígios. Qualquer pessoa que queira obter o CONHECIMENTO IMAGINATIVO deverá aprender a se concentrar e meditar corretamente. A mente deve ser exata, o pensamento lógico e o conceito preciso, a fim de que os sentidos internos se desenvolvam perfeitamente. Durante a meditação, poderão surgir cenas, paisagens, rostos, números, símbolos, etc. Este é um sinal de progresso nos campos imaginativo consciente e de meditação.

Dr. Samael Aun Weor proferiu centenas de conferências, as quais foram gravadas em fitas-cassete. A seguir vamos transcrever alguns trechos de uma delas cujo título é “Imaginação e Fantasia”.  Ela foi incluída numa publicação denominada “Exortações de um Avatara” (Editora Gnose, Porto Alegre):

    “ – Mestre, quais seriam os melhores exercícios para desenvolver a glândula pineal?

   “Como quer que a imaginação consciente é imaginação dirigida, indubitavelmente temos de aprender a dirigir a imaginação. Por exemplo, se relaxamos o corpo e pomos nossa atenção no processo do nascer e do morrer das coisas, a imaginação consciente se desenvolverá.  Imaginemos a semente de uma roseira, como germina, como depois vai crescendo o talo…  Em seguida, ao inverso, o processo involutivo:  como vão caindo as pétalas da rosa, como vão caindo as folhas da roseira e como ela no fim fica reduzida a um monte de lenha.  Este é um exercício maravilhoso!  Com ele se consegue o desenvolvimento da imaginação de forma positiva.”

IMAGINAÇÃO MECÂNICA

A IMAGINAÇÃO MECÂNICA é função da inconsciência, da mecanicidade da vida, do automatismo, no qual a humanidade está submersa. Quase todos os ATOS, PENSAMENTOS e SENTIMENTOS das pessoas são mecânicos. A FANTASIA e a mecanicidade são as principais causas do mal funcionamento dos centros. Cada centro possui suas formas próprias de fantasias e devaneios. A fantasia, o devaneio, o sonhar acordado é totalmente oposto ao funcionamento correto dos centros. Os centros motor e emocional quase sempre manipulam o centro intelectual para as manifestações das fantasias morbosas. O “sonhar acordado” não presta para nada, tão somente para manter o indivíduo numa letargia psíquica abominável. A raiz dos devaneios encontra-se nos centros EMOCIONAL e MOTOR. No centro motor manifesta-se na forma de ações, atitudes, movimentos, repetições de gestos, hábitos rotineiros, etc. No centro emocional caracteriza-se por agrados e desagrados, alegrias e tristezas, triunfos e derrotas, o que gosta e o que não gosta, o prazer e a dor, etc.

A preguiça e o comodismo do centro intelectual, para produzir as mudanças necessárias, facilitam o automatismo do movimento e das emoções. A esta altura, convém lembrar uma profunda frase de Albert Einstein, físico, matemático e filósofo, ao afirmar: ” O HOMEM, COMO QUALQUER OUTRO ANIMAL, É POR NATUREZA INDOLENTE. SE NADA O ESTIMULA, MAL SE DEDICA A PENSAR E SE COMPORTA GUIADO APENAS PELO HÁBITO, COMO UM AUTÔMATO”. Se o centro intelectual não impuser mudanças aos outros centros, nada mudará no indivíduo.

Continue reading


A Consciência Revela os Sonhos?


Você Tem Consciência?

histórias engraçadas de academia | Frases Para Postar no Facebook | Mensagens - Cultura Mix: A experiência tem comprovado até a saciedade que a CONSCIÊNCIA é o instrumento fundamental para a revelação dos sonhos.  Mas para saber usar esse instrumento torna-se indispensável, inicialmente, conhecê-lo mesmo que teoricamente.

O termo consciência origina-se do latim “conscientia“, de “cum” indicando simultaneidade e “scientia” significando ciência. A Psicologia a define como a função pela qual conhecemos a vida interior. É o conhecimento de nossos estados psicológicos à medida em que eles se desenrolam em nosso interior.

Os conceitos da Psicologia atual são insuficientes para definir claramente o que é consciência. Em síntese, não se sabe. Será possível definir CONSCIÊNCIA objetivamente?

Somente aquele que possui CONSCIÊNCIA OBJETIVA pode  compreendê-la e definí-la.  Chegamos a um beco sem saída, porque a grande maioria da humanidade não possui consciência objetiva, portanto não está capacitada a compreendê-la. O percentual médio de consciência da humanidade é de cerca de 3%. Onde estão os  97% restantes? Estão condicionados nos apegos, defeitos, imperfeições, complexos, orgulhos, luxúrias, problemas, ressentimentos, vaidades, gulas, arrogâncias, cobiças, invejas, pecados ou, sinteticamente, nos EUS ou AGREGADOS PSICOLÓGICOS.

Sob o ponto de vista prático, a consciência é uma espécie de “dar-se conta interiormente”, não tendo nada a ver com as atividades do pensamento ou da mente. É uma tomada de conhecimento de si mesmo. É a percepção de QUEM SE É, de ONDE SE ESTÁ e o QUE SE FAZ. Após este estado, compreende o que sabe, o que não sabe e o que precisa aprender. Somente a própria pessoa será capaz de saber se, de fato, está ou não CONSCIENTE em certo momento. Logicamente, apenas o próprio indivíduo pode aperceber se sua consciência existe ou não naquele instante. Portanto, é impossível para qualquer pessoa avaliar se a consciência do outro está ou não ausente. As manifestações exteriores são impróprias para nos certificarmos se há ou não a presença da consciência em dado momento.

NÍVEIS CONSCIENCIAIS

A CONSCIÊNCIA pode ser estudada em quatro manifestações perfeitamente diferenciadas e definidas. Queremos ressaltar que a consciência é única, porém, dependendo do seu nível de expressão numa pessoa, pode ser observada sob os seguintes estados:

1) SONO;

2) VIGÏLIA;

3) AUTOCONSCIÊNCIA; e

4) CONSCIÊNCIA OBJETIVA.

PRIMEIRO NÍVEL:  SONO

O sono ao qual nos referimos não é propriamente o fisiológico. Este por sua vez é necessário e indispensável para suprir as urgências vitais do corpo material. O Sono Psicológico é o que mais nos interessa. Quantas vezes já lhe ocorreu estar com um certo objeto na mão, colocá-lo em algum lugar e dali a poucos instantes nem sequer se recordar de onde o deixou? Por que isto ocorre?

A resposta é: ADORMECIMENTO DA CONSCIÊNCIA. Ora, se estamos despertos porque não nos recordamos de onde deixamos os objetos? A resposta é óbvia: estávamos dormindo acordados. Este adormecimento se deve ao sono psicológico. Pouco ou quase nada difere do sono fisiológico. Necessitamos despertar a nossa consciência.

Continue reading


Você Sabe Como Funciona sua Mente


Conquistando a Dinâmica Mental

A energia mental está dentro e fora de nós. Existe a mente pessoal e a mente cósmica. Na verdade, qualquer forma criada possui energia mental. Na Psicologia Tibetana a MENTE é vista com muito mais profundidade do que na Psicologia Ocidental. Tendemos a associar a mente ao intelecto ou idéias e em virtude disto caímos num labirinto de teorias, onde não há o fio de Ariadne.

frases de Jung Mais: Os monges psicológicos tibetanos chamam de KUN-SHI NAM-SHE ao fundamento de todas as nossas experiências. Toda e qualquer experiência de uma pessoa produz impressões. As impressões podem ser positivas ou negativas. As impressões podem gerar formas mentais (EUS PSICOLÓGICOS), criando certo vínculo, digamos, kármico. As formas mentais kármicas são como sementes. Se forem cultivadas criam raízes, germinam, dão frutos e geram novas sementes, criando o círculo vicioso do SAMSARA, ou roda da vida, cujo resultados são observados no diário viver.

A tradição tibetana não vê diferença entre corpo, mente e espírito. Para eles o homem é um todo, portanto o KUN-SHI NAM-SHE não se refere unicamente ao aspecto puramente psicológico do funcionalismo da mente, mas há, sobretudo, um conteúdo profundíssimo do aspecto filosófico e religioso em dimensões cósmicas. As características do próprio corpo físico são vistas como um produto da emanação e cristalização da mente. Através do estado de consciência (vide lição 7) a energia mental é dirigida. Quanto maior for o grau de consciência, melhor será a orientação dada à energia mental. Quanto menor for o grau de consciência, maior desordem haverá na energia mental.

Continua o Dr. Samael, na mesma obra anteriormente citada:

“Em dinâmica mental necessitamos saber algo sobre o como e o porque funciona a mente.

“A mente, inquestionavelmente, é um instrumento que nós devemos aprender a manejar conscientemente. Porém, seria absurdo que tal instrumento fosse eficiente se antes não conhecêssemos o como e o porque da mente.

“Quando se conhece o como e o porque da mente, quando se conhece os diversos funcionalismos da mesma, pode-se controlá-la e esta se converte em um instrumento útil e perfeito, em um maravilhoso veículo mediante o qual podemos laborar em benefício da humanidade.

“Necessitamos, na verdade, de um sistema realista, se é que verdadeiramente queremos conhecer o potencial da mente humana.

“Por estes tempos abundam muitos temas para o controle da mente. Há os que pensam que certos exercícios artificiosos podem ser magníficos para o controle do entendimento. Há escolas, existe muita teoria sobre a mente, muitos sistemas, mas como seria possível fazer da mente algo útil? Reflitamos que, se nós não conhecemos o como e o porque da mente não podemos conseguir que esta seja perfeita.

“Necessitamos conhecer os diversos funcionalismos da mente, se é que queremos que a mesma seja perfeita. Como funciona? Por que funciona? Esse como e porque são definitivos.

“Se, por exemplo, lançamos uma pedra a um lago veremos que se formam ondas, estas são a reação do lago, da água contra a pedra. Similarmente, se alguém nos diz uma palavra irônica, esta palavra chega à mente e a mente reage contra tal palavra, então vêm os conflitos.

Continue reading


Corpo Sadio, Mente Sadia. Corpo Doente, Mente Doente


Emoções e Corpo: Um Todo Inseparável

Quem estuda a si mesmo se torna uma pessoa mais feliz, confiante e independente. : Certo médico possuíra fracas artérias coronárias. Ele fez o seguinte comentário:“A pessoa que tiver a capacidade de me zangar está com minha vida em suas mãos”. Esse pobre homem encontrou esse indivíduo. Acabou morrendo um dia em uma violenta crise de ira. Caso esse médico não possuísse debilidades no coração poderia facilmente suportar o regime de trabalho cardíaco durante a explosão de raiva. Fica claro a relação corpo e emoções.

No artigo “The Urinary Output of Adrenalin and Noradrenalin during Pleasant and Unpleasant Emotional States” publicado em “Psychosomatic Medicine”(27:80, 1965) o Dr. Lennart Levi, do Caroline Institute de Estocolmo procedeu a seguinte experiência.

Reuniram-se vinte voluntários e recolheram amostras de suas urinas em recipientes e logo a seguir foram levados para assistir um filme. Após o filme novamente foram recolhidas novas amostras de urina dos mesmos indivíduos.

O primeiro filme assistido foi um documentário acerca de uma viagem. A película provocou-lhes pequenas reações de caráter emocional. Os exames de urina demonstraram que durante a projeção do filme as glândulas haviam reduzido a produção dos hormônios adrenalina e noradrenalina.

Dias depois os voluntários assistiram um filme de guerra, uma comédia e outro de terror. Tais películas desencadearam diversas e fortes reações como: tristeza, alegria, medo, etc. Os exames de urina posteriores revelaram acentuados aumentos na produção de hormônios dos voluntários.

O simples estado emocional, gerado apenas pelas cenas dos filmes, demonstrou ser suficiente para promover profundas alterações nas reações químicas do corpo.

INEGÁVEL COMPROVAÇÃO

Há muitas enfermidades decorrentes de alterações anatômicas. Entre essas estão as disfunções das coronárias. Sem dúvida o curso das mesmas podem ser afetadas por fatores emocionais e psíquicos. Verificou-se que, as alterações comuns relativas às artérias geradas de ataque cardíaco podiam ser encontradas em mais de 70% dos jovens mortos na guerra da Coréia. A faixa etária média dos afetados era de 22 anos. É interessante notar que estas alterações apresentam-se, quase generalizadas, entre os homens americanos de meia idade. A freqüência entre os americanos é tão elevada a ponto de incluir quase todos os tipos de personalidades. Esses mesmos indivíduos também apresentam todas as variedades conhecidas de antecedentes emocionais, tensões psicológicas e temperamentos. Quando a enfermidade progride até o ponto de ocasionar dores no peito recorrentes, tais dores podem ser precipitadas tanto por esforços físicos como também por fatores emocionais. É inegável o fato de que as emoções podem acelerar o regime de trabalho do coração.

Continue reading


Você Conhece Alguém com Depressão?


Depressão Nossa de Cada Dia

Já vimos que a depressão pode somatizar-se em forma de dores nas costas. Impotência, insônia, torpores, perturbações gastrointestinais, palpitações cardíacas, entre outros males são também equivalentes depressivos.

Pensamentos:): Estima-se que cerca de um em cada cinco hipocondríacos são, na verdade, vítimas de depressões subjacentes. Somente cerca de 25% dos deprimidos procura os médicos motivados por desconforto orgânicos.

Dr. Michael J. Halberstam, da Escola Médica da Universidade George Washington, EUA, relata o caso de sete pacientes deprimidos. Cada um deles o procurou por causa de uma gripe ou resfriado que não queria desaparecer apesar das providências tomadas. Os sintomas não apresentavam qualquer relação com doença viral ou do sistema respiratório. Eles sentiam-se cansados. Tinham dificuldade em manter-se concentrados e sentiam dificuldade em levantar-se da cama ao despertar pela manhã.

Dr. Halberstam também relata dois casos de pacientes que o procuraram por causa de “infecções oculares”. No entanto, ao consultar o oftalmologista nada de anormal foi encontrado. Um deles reclamava que seus olhos pareciam pesados. O segundo queixava-se de ter dificuldade em ler. O verdadeiro problema não era visual e sim dificuldade de concentração naquilo que estava lendo.

A pessoa deprimida, com freqüência sente pressão, dor difusa e ardência no peito. Quando lhe perguntam onde dói, a resposta é imediata apontando para o peito. Esse gesto é característico da pessoa depressiva.

É comum entre os deprimidos o surgimento da fadiga. A vítima sente-se incapaz de realizar suas tarefas normais do dia. Para eles tal trabalho é um fardo pesadíssimo. Essa exaustão pode ser originada em alguém que sofreu forte tensão por tempo prolongado. Ao que parece, a incapacidade do organismo reagir aos estímulos resulta de uma reação do corpo para reequilibrar-se após grande esforço.

FADIGA DE ORIGEM EMOCIONAL

Nos casos de fadiga muito prolongada no qual o indivíduo se sente excessivamente cansado até mesmo pelo menor esforço. Tais indicações significam que essas pessoas possuem, em sua maioria, conflitos emocionais significativos. Em pesquisa realizada com trezentos pacientes acometidos de fadiga crônica, comprovou-se que somente 20% estavam com problemas orgânicos como anemia, falta de vitaminas ou complicações hepáticas. Dr. Nathaniel Shafer, da Escola Médica de Nova Iorque opina que: “Mesmo nesses casos  não é certo afirmar que o mal orgânico tenha sido o motivo de fadiga. Uma vez que muitos pacientes vítimas desse mal, não apresentaram fadiga em seus sintomas”.

Continue reading


Sorria, Você Está Sendo Manipulado


A Farsa dos Carneiros

Girls Just Wanna Have Fun!: A humanidade vive num estado de sono psicológico. Até o presente momento lhe explicamos abundantemente como transcender essa hipnose individual. Na verdade, é até interessante para a natureza que o ser humano continue em seu adormecimento interior. Somente os rebeldes, os inconformados, os revolucionários conseguiram vencer a inércia psicológica. Para ilustrar o caos psíquico vibrante na humanidade vamos narrar um conto oriental muito interessante.

Conta-se que um riquíssimo mago possuía um imenso rebanho de carneiros. Esse senhor era muito avarento e protegia o seu rebanho de todos os modos, a ponto de nem sequer contratar serviços de outros pastores para ajudá-lo na administração. Tampouco queria cercar os campos por onde seus carneiros pastavam. Muitos extraviavam-se na floresta, às vezes caíam nas ravinas, perdiam-se ou fugiam com a aproximação do avaro mago. Eles sabiam que ele pretendia tirar-lhes a carne e a pele. É claro que os carneiros não gostavam disso.

Continue reading


Câncer e Emoções


Emoções Negativas Podem Colaborar com Aparecimento do Câncer

Há condições emocionais que favorecem o aparecimento de câncer? Os estudos apontam para uma resposta afirmativa, embora haja muita resistência no meio acadêmico.

O QUE É CÂNCER

"Mulher Chorando" (1937) de Pablo Picasso. Que profunda tristeza sinto ao contemplá-lo!: Câncer é um termo genérico atribuído a multiplicação desordenada das células em órgãos ou tecidos do corpo. As células cancerosas crescendo anormalmente formam tumores. Os tumores malignos desenvolvem-se mais freqüentemente em órgãos importantes como, pulmões, mamas, intestinos, pele, estômago ou pâncreas, mas também podem surgir nos meios nasais, testículos ou ovários, lábios e línguas. As células cancerosas levadas pela corrente sangüínea a um outro órgão mais distante e ali se instalando, e passando a reproduzir-se, podem formar um novo tumor. Esse fenômeno é chamado de metástase. É exatamente nessa disseminação do tumor que reside a gravidade da doença. A partir de uma única célula todo o organismo pode vir a ser gravemente afetado. Existem várias causas para o câncer. Dentre elas estão: o fumo, as radiações ionizantes, alimentação inadequada, etc.

HAVERÁ FATORES EMOCIONAIS NO SURGIMENTO DO CÂNCER?

A Dra. Helen Flanders Dunbar do Royal College of Surgeons crê ser a resposta afirmativa. Ela apresentou um trabalho mostrando a relação entre estados emocionais e o câncer. Um colega seu leu o trabalho. Mostrou-se cético quanto a possível justificativa psicossomática no desenvolvimento do câncer. Tempos depois, após suas próprias observações, convenceu-se que certos traços da personalidade desempenham papel importante na relação dessa doença.

Dra. Dunbar narra o caso, por exemplo, de uma mulher que vivia sonhando que mordia o seio de sua mãe, provocando o surgimento de nódulos. Um tempo depois, o sonho mudou. Começou a sonhar que havia nódulos em seu próprio seio. Desse modo, procurou o médico para verificar o que havia. Ao ser examinada, nada foi encontrado. Chegou-se a conclusão que a mulher sofria de cancerofobia (medo patológico de câncer). Entretanto, não tardou que, de fato, surgisse realmente um tumor cancerígeno no seio.

Não vamos pensar que todos os casos de câncer tenham origem na psique. Aliás, cabe ressaltar que os estudos até agora não são conclusivos, contudo, há estatísticas apontando para a predisposição de certas pessoas ao câncer.

Continue reading


As Emoções Adoencendo o Corpo


Personalidade, Doenças e Emoções

O tipo de personalidade favorece mais a certos tipos de doenças? Essa é uma pergunta que os médicos, psicólogos e psiquiatras vem tentando responder. A ideia não é nova. Até mesmo Hipócrates, pai da Medicina, já traçava um paralelo entre as enfermidades e os temperamentos.

TENDÊNCIAS PSICOPATOLÓGICAS

"Mental pain is less dramatic than physical pain, but it is more common and also harder to bear. The frequent attempt to conceal mental pain increases the burden: it is easier to say “My tooth is aching” than to say “My heart is broken." — C.S. Lewis, The Problem of Pain: Há séculos sabe-se das predisposições de certos indivíduos a determinados tipos de doenças. Concluíram que tais conflitos continham indicadores para as causas das doenças psicossomáticas específicas. Verificaram haver predisposição hereditária em certas pessoas para algumas enfermidades, entretanto, o agente desencadeador muitas vezes é um conflito emocional ou uma elevada tensão em certo período da vida.

Há várias inter-relações orgânicas, sociais e emocionais vulnerabilizadoras de doenças. Alguém nascido com um sistema circulatório vulnerável pode sentir grande hostilidade em relação aos seus pais, sem jamais demonstrá-la, por querer intensamente a sua aceitação. A hostilidade reprimida afeta as reações hormonais e emocionais gerando constricção arterial e acúmulo de colesterol nas paredes das artérias. Os enfermos com úlcera duodenal apresentam conflitos de dependência. Os asmáticos temem perder a mãe e tem dificuldade em chorar. As vítimas de neurodermatite são carentes de contato físico.

Sabe-se que o diabete é uma enfermidade de origem congênita. O pâncreas passa a produzir quantidades insuficientes de insulina, ou pode haver maior consumo de insulina nos tecidos. Qualquer que seja o mecanismo causante, resulta em um elevado nível de açúcar no sangue. Essa condição existe desde o nascimento, apesar dos sintomas do diabete, por vezes, só se manifestarem no decorrer da vida. Suspeita-se que as tensões emocionais ou fisiológicas prolongadas podem gerar uma deficiência permanente nos mecanismos regulares já precários, facilitando a manifestação da doença.

A Dra. Dunbar, por exemplo, verificou que os diabéticos apresentam um longo quadro de mal-estar, cansaço, moleza e sentimento de depressão e desespero, antes que a enfermidade seja detectada. Entre outras características o diabético típico é indeciso, preferindo deixar que os outros decidam por ele, para depois assumir o papel de má vontade, apesar de evitar qualquer ação para aliviar o que lhe parece falta de sorte. A maioria dos diabéticos manifesta ressentimentos e submissão dócil aos seus pais na primeira infância. Os diabéticos manifestam tendência a passividade de um medo geral e à sexual em particular.

Continue reading


O Enigma Chamado Consciência


Um Pouca Mais de Consciência

Increasingly people within spiritual circles are becoming aware of, and speaking out about, "energetic implants" in our energy fields. Implants are prevalent within most, if not all, human beings. They've been used as a tool by Opposing Consciousness in the 'dumbing-down' of humanity. So what are energetic implants? How do they work? Where did they come from? And most importantly, how do we remove them? By Contributing Writer Open: A experiência tem comprovado até a saciedade que a CONSCIÊNCIA é o instrumento fundamental para a revelação dos sonhos.  Mas para saber usar esse instrumento torna-se indispensável, inicialmente, conhecê-lo mesmo que teoricamente.

O termo consciência origina-se do latim “conscientia“, de “cum” indicando simultaneidade e “scientia” significando ciência. A Psicologia a define como a função pela qual conhecemos a vida interior. É o conhecimento de nossos estados psicológicos à medida em que eles se desenrolam em nosso interior.

Os conceitos da Psicologia atual são insuficientes para definir claramente o que é consciência. Em síntese, não se sabe. Será possível definir CONSCIÊNCIA objetivamente?

Somente aquele que possui CONSCIÊNCIA OBJETIVA pode  compreendê-la e definí-la.  Chegamos a um beco sem saída, porque a grande maioria da humanidade não possui consciência objetiva, portanto não está capacitada a compreendê-la. O percentual médio de consciência da humanidade é de cerca de 3%. Onde estão os  97% restantes? Estão condicionados nos apegos, defeitos, imperfeições, complexos, orgulhos, luxúrias, problemas, ressentimentos, vaidades, gulas, arrogâncias, cobiças, invejas, pecados ou, sinteticamente, nos EUS ou AGREGADOS PSICOLÓGICOS.

Sob o ponto de vista prático, a consciência é uma espécie de “dar-se conta interiormente”, não tendo nada a ver com as atividades do pensamento ou da mente. É uma tomada de conhecimento de si mesmo. É a percepção de QUEM SE É, de ONDE SE ESTÁ e o QUE SE FAZ. Após este estado, compreende o que sabe, o que não sabe e o que precisa aprender. Somente a própria pessoa será capaz de saber se, de fato, está ou não CONSCIENTE em certo momento. Logicamente, apenas o próprio indivíduo pode aperceber se sua consciência existe ou não naquele instante. Portanto, é impossível para qualquer pessoa avaliar se a consciência do outro está ou não ausente. As manifestações exteriores são impróprias para nos certificarmos se há ou não a presença da consciência em dado momento.

Continue reading