Magnetoterapia: A Cura pelos Ímãs


Magnetoterapia: Mais um Método de Tratamento

Os métodos terapêuticos não convencionais vêm cada vez mais ganhando adeptos. Há dezenas de sistemas alternativos que quando corretamente utilizados por profissionais capacitados produzem resultados altamente benéficos para o reequilíbrio orgânico e recuperação da saúde. Isso não quer dizer que devemos abandonar as técnicas da medicina ortodoxa. Até pelo contrário, deve-se procurar aliá-las para o bem estar do indivíduo.

Magnetotherapie: O MAGNETISMO ATRAVÉS DA HISTÓRIA

Os registros históricos revelam que Aristóteles (III séc. a.C.) foi a primeira pessoa citar acerca das propriedades terapêuticas do magneto natural, chamado por ele de “magneto branco”. No primeiro século d. C. Plínio falou do uso do magneto para doenças dos olhos. Galeno, no terceiro século, elogiou as virtudes do magneto como cura para constipação; e Marcel, um filósofo francês e médico do quarto século, recomendou usar um magneto no pescoço para aliviar as dores de cabeça.

Alexandre de Tralles (séc. VI), empregou um magneto no tratamento de dores articulares. Avicena, famoso médico árabe do séc. XI, usou-o contra melancolia. Aproximadamente nessa mesma época, Alberto Magno declarava que o magneto exerce um efeito salutar e poderoso no corpo humana.

O escritor Colchester, por volta de 1600, escreveu um livro, cujo título foi “THE MAGNET”.

Aparentemente, o magneto foi usado continuamente, no séc. XVI quando Paracelso ainda o mencionava como meio terapêutico. Os estudiosos dizem que provavelmente foi o primeiro a mencionar polaridade. Mesmo que sua descrição seja ainda meio vaga, ele diz que aplicou um ou outro lado do magneto de acordo com o efeito desejado.

O físico e médico  inglês Willian Gilbert, no século XVI, levantou a hipótese de que a Terra seria um grande ímã, devido à atração da agulha magnética da bússola.

Kircher, célebre estudioso e jesuíta  alemão, publicou muitos documentos acerca do magneto e, em particular, em seu “Magnetismus medicinalium”, na qual ele nos informa da utilização contínua dos magnetos desde tempos remotíssimos. Ele descreve os métodos empregados e os resultados obtidos.

Posteriormente, numerosos médicos e cientistas  tem perseverado no uso terapêutico do magneto e na publicação das suas descobertas. Father Hell, famoso astrônomo, manufaturou magnetos com grande variedade de formas e tamanhos para serem utilizados nos braços, pernas, pescoço, etc. do corpo humano.

Continue reading


O Que é Genética e Metagenética


Genética e Metagenética

DNA may be complicated, but it can still be understood by all. Look at some analogies, diagrams and science behind the molecule of life, DNA: Qualquer pessoa sensata, ao observar os fenômenos naturais, verificará  a presença da força repetitiva dos acontecimentos. Há  uma memória em cada fenômeno, ato ou fato cósmico. A memória registra a informação arquivando-a para futuras referências. No campo da Biologia, o ramo encarregado do estudo das leis de transmissão dos caracteres hereditários de um indivíduo e das propriedades dos elementos que asseguram essa transferência é denominado GENÉTICA. Em nosso caso, interessa-nos o estudo da genética humana.

A MEMÓRIA METAGENÉTICA refere-se a informações hereditárias arquivadas nas meta-estruturas genéticas, ou seja, nos gens humanos. Há muitos fenômenos ainda inaceitáveis pelo meio científico atual, contudo já descritos por milenares tradições de povos e culturas, além de exaustivamente comprovados por esoteristas e místicos iluminados. É exatamente sobre este último ponto que nos deteremos nesta lição. Antes de nos aprofunda
rmos no tema vejamos, sinteticamente, alguns elementos da reprodução humana e da Genética.

ÓVULO E ESPERMA:  ORIGEM HUMANA

Um novo ser humano é gerado quando ocorre a união de uma célula reprodutora masculina (o espermatozóide) com uma célula reprodutora feminina (o óvulo).

No decurso do ato sexual normal (fornicação) ocorre a ejaculação seminal masculina na vagina feminina. Em cada ejaculação, o homem perde milhões de sementes. A cada centímetro cúbico pode haver uns 100 milhões de espermatozóides. Numa emissão seminal são perdidos de 200 a 600 milhões de espermatozóides. O curioso é saber que somente um ou dois chegarão a fundir-se com o óvulo. Parece algo absurdo a perda de tantas sementes para que apenas uma ou duas gerem um novo ser.

Continue reading


Ayahuasca: Alucinógeno ou Bebida Transespiritual


Ayahuasca: Por quê e Para Quê

Ayahuasca[1] (do quíchua aya, que significa ‘morto, defunto, espírito’, e waska, ‘cipó’, podendo ser traduzido como “cipó do morto” ou “cipó do espírito”[2] ), também conhecida como hoasca, daime, iagê[3] , santo-daime, vegetal e mariri[4] é uma bebida psicoativa produzida a partir da combinação da videira Banisteriopsis caapi com várias plantas, em particular aPsychotria viridis e a Diplopterys cabrerana.

A produção e o consumo da bebida são difundidos no mundo todo, em especial nos países ocidentais.[5] A ayahuasca é frequentemente associada a rituais de diferentes grupos sociais e religiões, além de fazer parte da medicina tradicional dos povos da Amazônia.[

História do uso indígena

Era utilizada pelos incas ou, melhor, pelo complexo histórico cultural assim denominado. Segundo Darcy Ribeiro[8] , apesar das diferenciações linguísticas e das variantes culturais e nacionais, o bloco inteiro deve ser encarado como uma só macro-etnia: a neo-incaica. Numa avaliação que fez em 1960, publicada no livro “As Américas e a civilização”, encontrou-se uma população de 15,5 milhões de habitantes, na área montanhosa de 3 000 quilômetros de extensão que vai do Norte do Chile ao Sul da Colômbia, cobrindo os atuais territórios da Bolívia, Peru e Equador. Destes, 7,5 milhões são considerados indígenas, 3 milhões, brancos por autodefinição e 5 milhões de mestiços.

Continue reading


Astrogenética: Você Sabe o Que é


Noções de Astrogenética

A Astrogenética é o estudo da psicologia das pessoas através do signo zodiacal ou astrológico.

Cada um nasce em determinada hora, dia, ano e signo. Todos os signos têm características positivas e negativas. Estas características são representadas como reações, temperamentos, condições, tendências, conduta, etc., e estão intimamente relacionadas com a nossa forma de ser e o signo que nos influehttp://moiraintuitive.wix.com/moiraintuitive: ncia.

Dentro da Astrogenética há mudanças processadas pelo trabalho psicológico que cada um opera em si mesmo. Quando este trabalho psicológico é levado a sério, produzindo resultados palpáveis, pode ocorrer que, ao retornarmos a este mundo, possamos nascer sob a influência de outro signo.

O Raio Astrológico Íntimo se mantém através das eternidades. Este é o raio do nosso Real Ser e o Raio da Criação, origem de nossa existência cósmica.

Qualquer pessoa pode nascer, nesta vida, sob o signo de Touro, Leão, Peixes, Capricórnio, etc. Na futura vida, dependendo de situações internas, poderá nascer sob um signo do mesmo elemento. Sabemos que os signos estão relacionados com certo elemento.

FOGO: Áries, Leão e Sagitário.

ÁGUA: Câncer, Escorpião e Peixes.

AR: Gêmeos, Libra e Aquário.

TERRA: Touro, Virgem e Capricórnio.

 

Exemplo: uma pessoa nasce em Áries. Em sua vida futura poderá nascer em Leão ou Sagitário, pela Lei de Similitude de Elemento.

Cada signo combina com 3 outros, formando 3 grupos de 4, representando as 12 partes do nosso Ser. É a representação astronômica dos 12 apóstolos, dos 12 poderes do homem, dos 12 planetas, das 12 notas musicais, etc.

Quem trabalha somente com um signo está fracionando o Ser. Devemos aprender a trabalhar com os 12 signos. Começamos com o nosso próprio signo, conhecendo suas partes positivas e negativas; depois vamos estudar o signo oposto ao nosso; mais tarde os do mesmo elemento e logo, os demais.

Uma pessoa, pela visão da Astrogenética, para ser perfeitamente equilibrada, deveria estar sintonizada com os outros 11 signos, tendo como regência, como eixo, seu signo de nascimento.

Continue reading


Lêvedo ou Levedura de cerveja: Poderosamente Eficaz


Lêvedo ou Levedura de cerveja: Que É e Como Usar

Lêvedo ou Levedura de cerveja é a desiReceita Caseira para Queda de Cabelo com Levedo de Cerveja Veja: http://www.aprendizdecabeleireira.com/2015/10/receita-caseira-para-queda-cabelo.html: gnação genérica de certos fungos unicelulares pertencentes a diversos gêneros fermentadores de carboidratos. É um agente utilizado no processo de fermentação de bebidas não-destiladas e na panificação. Há lêvedos prejudiciais ao organismo humano e lêvedos benéficos como Saccharomyces cervita, usado na indústria de cerveja.

Lêvedo de Cerveja: Aspectos Históricos

A levedura de cerveja é um produto que vem sendo usado há séculos como um poderoso depurador do sangue e no combate aos furúnculos. Hipócrates, Pai da Medicina, já conhecia e o empregava terapeuticamente. Na Idade Média os monges o utilizava para tratar de chagas e feridas. No final do século XIX e início do século XX vários estudos laboratoriais constataram que a levedura de cerveja era uma substância composta de vários constituintes de grande atividade biológica sendo rico em vitaminas (sobretudo do complexo B), aminoácidos e minerais. Durante a Segunda Guerra Mundial as sobras de madeira foram aproveitadas para produção da levedura. Por esse método obtinha-se um alimento rico em albuminóides, que à princípio não parecia ser indicado para o consumo humano, por causa de seu sabor.

Pesquisas recentes realizadas no Instituto de Ciências Weizmann, em Israel, constataram a presença de um constituinte no lêvedo de cerveja denominado glucan. Verificaram que o glucan melhorava o processo de cicatrização de lesões em ratos. A pesquisa demonstrou que o glucan é um polissacarídeo que ativa os macrófagos que, por sua vez, promove o crescimento de fibroblastos e de capilares, estimulando assim o processo de cicatrização.

Continue reading


Radiestesia Ajudando à Saúde


 Radiestesia Funciona ?

http://active-succes.com/radiesthesie/images/pendule-main.png: A palavra radiestesia somente foi cunhada em 1919 pelo abade Aléxis Bouly juntamente com o também abade Bayard. Esses dois franceses juntaram os termos latino “radius” (rádio, radiação) e a palavra grega “aisthesis” (sensibilidade). Desse modo, podemos definir radiestesia como: “sensibilidade a qualquer tipo de radiação, freqüência, vibração ou energia”.

Você que está iniciando esse curso que aborda a radiestesia deve ter se sentido atraído pelo tema por três motivos:

Primeiro: interesse em conhecer um assunto que já ouviu falar e ou leu alguns comentários que despertou a sua curiosidade.

Segundo: está procurando algo que sustente o fato que a capacidade do ser humano é muito maior do que o comumente utilizado e a radiestesia pode ser uma via interessante para ampliá-la.

Terceiro: acredita ser a radiestesia apenas mais um modismo ou “práticas” empíricas típicas da chamada “Nova Era” servindo apenas para sustentar convicções misticóides ou crendices aquarianistas.

Seja qual for a sua motivação a respeitamos religiosamente. Haja vista que no pergaminho da existência a última verdade ainda não foi escrita, e certamente nunca a será.

“NO CREO EM BRUJAS, PERO QUE LAS HAY, LAS HAY”

A frase que serve de título em espanhol pode ser traduzida como: “Não acredito em bruxas, mas que elas existem, de fato existem”. Essa afirmação, segundo as narrativas, é de origem espanhola, mais exatamente da Galícia. Será que podemos aplicar esse ditado, por analogia, apenas substituindo o termo por radiestesia? A conclusão é sua, mas vejamos um caso interessante.

Pedro das Dores era um próspero empresário. Nos seus 38 anos de vida gozava de uma excelente saúde física e financeira. É casado com Marta e tem dois filhos, Augusto e Daniela.

Pedro foi um daqueles bólidos do sucesso. Em menos de três anos cresceu empresarialmente mais de 2000%, fruto da sua sagacidade e visão de negócios. Graças a isso o seu padrão de vida elevou-se vertiginosamente. Por isso, decidiu morar em um luxuoso condomínio de classe alta. Comprou uma bela e ampla casa. Como o imóvel já tinha mais de 10 anos de construção, resolveu fazer algumas pequenas reformas e adaptá-las ao seu gosto.

Continue reading


O Que Podemos Dizer dos Meninos Prodígios?


Reencarnação: Pesquisa Tecno-científica

É claro que para um rigoroso estudo científico do fenômeno reencarnatório é indispensável desenvolver recursos técnicos.  O método mais comum que os pesquisadores usam é o indutivo.  Esse fundamenta-se em observar os fatos, reunindo-os em volume tal que admitam a elaboração de hipóteses e se estabelecer leis em princípios gerais que permitam a compreensão dos fenômenos observados.

A metolSigns of past lifeogia científica para o estudo da reencarnação utiliza basicamente três sistemas fundamentais: histórico, jurídico e o psiquiátrico.

O método histórico atêm-se a avaliação descritiva sob a veracidade das narrativas tendo como base e fundo os fatos históricos registrados e documentados.

O método jurídico baseia-se na avaliação das terminologias, forma expressiva do pensamento e coerência científica dos fatos descritos pelo reencarnado.  É óbvio que tudo exige do pesquisador vasto material para comparação.

O método psiquiátrico fundamenta-se na reconstituição de fatos ocorridos com a correspondente reação e manifestação na esfera do pensamento e sentimento sem as reações psicossomáticas detectáveis.

A metodologia científica é a única aceita por alguns pesquisadores acadêmicos, mas nem tudo é excessivamente exigente além de demorar e quase sempre ser muito cara.

Se os nossos homens de ciência obtivessem êxito no despertar de suas faculdades paranormais como a visão extra-retina (clarividência), estado ecossomático (viagem astral) percepção extra-auditiva (clarividência), intelecção iluminada (intuição precisa), telepatia, etc, a pesquisa seguiria um curso muito mais produtivo e com um índice de precisão surpreendente.  Qualquer pessoa pode desenvolver suas faculdades internas, basta para isso se dedicar incansavelmente certos exercícios esotéricos.  Em nosso curso Saber é Poder ensinamos mais de uma centena de práticas milenares para o crescimento e florescimento dos poderes paranormais.

Continue reading


Como Percebemos as Vidas Passadas


Percepção de Cenas, Dramas e Tragédias de Passadas Existências

Todas as pessoas percebem as cenas, dramas e tragédias de passadas existências do mesmo modo? A resposta é NÃO.

A experiência prática tem demonstrado que a percepção das vidas passadas são tão variadas quanto a opinião das mulheres acerca da moda. A visão das cenas podem vir desde clarões multicoloridos até a sensação de perfumes, vento, emoções e muito mais. As cenas podem ser preto e branco, multicoloridas, ricas ou pobres em detalhes simples, complexas, etc.. Assim, temos uma grande escala de percepção visual, auditiva, tátil, olfativa e de paladar.

Sign of past life: Dreams and nightmares

Existem dois fatores causadores da grande variedade de percepção. O primeiro refere-se ao nível vibracional das ondas cerebrais alfa, aliás, esse tema será enfocado em lições posteriores. O segundo, está associado ao nível de consciência. É exatamente acerca desse tópico que nos deteremos a estudar nessa lição.

Diferentes Percepções

O tema consciência será abordado por diferentes ângulos. Não nos deteremos apenas no caráter acadêmico ou psicológico. Vamos enfocá-lo sob o ponto de vista metafísico, filosófico, místico e esotérico.

Dr. Thorwald Dethlefsen, psicólogo de Munique, Alemanha, em sua obra “A Regressão a Vidas Passadas como Método de Cura” (Pensamento, São Paulo, 1997), afirma: “…o processo de conscientização nada mais é do que rever, observar e trazer à consciência um fato outrora desagradável e que foi reprimido”.  Com essa citação vemos que uma das chaves fundamentais da TVP é o processo de conscientização ou percepção conscientiva dos fatos e ocorrências do passado. Todos os fenômenos ocorridos em nossa existência, estando encarnado ou não ficam indelevelmente gravado em nossa consciência. Sob o ponto de vista esotérico sabemos que em nossa consciência há a memória do Universo desde seu surgimento na aurora da criação, entretanto, são raros os seres humanos que têm acesso a esse banco de dados tão primitivo.

O Dr. Joel L. Whitton, M.D., Ph.D., professor de psiquiatria e o jornalista Joe Fisher, no livro “Vida-Transição-Vida” postulam um estado de consciência denominado metaconsciência. Vejamos um trecho no qual o conceito é abordado:

“Esse estado abençoado, que o Dr. Whitton chamou de metaconsciência, pode ser definido como a percepção de uma realidade além de qualquer estado conhecido de existência. Ele difere dos estados de sonho, das experiências extracorpóreas, do reviver de vidas passadas e de todos os outros estados alterados de consciência. Ser metaconsciente é fundir-se na quintessência da existência, ceder no sentido da identidade para, paradoxalmente, tornar-se mais auto-consciente de um modo mais intenso. Ser metaconsciente é estar livre de constrangimentos corporais, sentir-se em unidade com o universo, tornar-se uma nuvem dentro de uma nuvem sem fim. E embora isso possa sugerir uma atmosfera de vazio, de flutuação de nuvens de algodão, a vida entre a vida não é um mundo como o dos contos de fada. Os que provaram suas riquezas sabem que visitaram a realidade definitiva, o plano da consciência de onde embarcamos em sucessivas experiências de encarnação e para onde voltamos quando da morte do corpo”.

Na verdade a consciência é um tipo de energia integrante do ser humano. É preciso saber que no homem e na mulher existem sete tipos básicos de energias. Os sete níveis possuem vários outros sub-níveis.

Continue reading


Saiba Mais Sobre Essências Aromáticas


Poder Anti-Séptico das Essências Aromáticas

Dr. Bidault, em 1960, comprovou  o efeito profilático das essências para a  prevenção de doenças contagiosas da infância (coqueluche, coriza epidêmica, gripe), e das doenças graves ou crônicas das vias respiratórias dos adultos (gripes, tuberculose, pneumonia). Confirmava as experiências sobre a ação germicida das essências aromáticas sobre os bacilos de Bordet-Gengou (coqueluche), Pfeiffer (gripe) e Kock (tuberculose).

Essas experiências clínicas provam Turn on this stress-busting aroma diffuser + let your tensions melt away.: que a desinfecção do ar ambiente, onde existe doença, é uma ação terapêutica preventiva.

Tais comprovações não podem passar indiferentes. Pois se levarmos em conta que: temos 5 germes microbianos por metro cúbico em uma floresta virgem, há cerca de 20.000 em um apartamento de grandes centros urbanos, mais de 9 milhões em qualquer supermercado, mais ou menos o mesmo nas grandes lojas de departamentos.  Uma mesa de trabalho pode ter mais de 5 milhões de micróbios por metro quadrado, um carpete, 9 milhões.

Obviamente em um grande hospital, contamos com uma proporção espantosa de germes por metro cúbico e podemos dizer que o meio hospitalar está, de longe, o mais infectado de todos. Essa é a razão pela qual é comum aos pacientes internados contraírem a chamada infecção hospitalar.

Um médico, há muitos anos atrás, fez a seguinte experiência. Colocou um pouco desse “ar hospitalar” em um frasco contendo algumas gotas de essência. Ele verificou que 40% de micróbios estavam destruídos em 20 minutos, 80% em 1 hora, 100% em 9 horas.

A prática de nebulização fina (aerossóis) de óleos essenciais poderia ser uma solução bactericida para ser aplicada em quartos de doentes, salas de operações dos hospitais e em clínicas. Mas o veículo dos aerossóis pode, talvez, desencadear reações alérgicas. Assim é preferível deixar as essências se liberarem por elas mesmas. Isso pode ser feito por uma pequena lâmpada aquecida colocada sobre uma tacinha onde se pinga algumas gotas de essência de tomilho, lavanda, agulhas de pinheiro, eucalipto. Mas esse método de administração de essência será estuda mais adiante.

O espantoso poder anti-séptico das essências é, portanto, um fato concreto. Por isso muitos fabricantes de pasta de dentes as têm incorporado em suas fórmulas. Nada pode se igualar às misturas à base de anis, cravo, camomila, menta e outros óleos essenciais.

Devido a que alguns produtos químicos serem perigosos para as pessoas ou inativos contra os germes microbianos a aplicação das essências pode ser uma solução.

Diante do bacilo de Kock, por exemplo, os professores Courmont, Morel e Rochaix demonstraram que a dose ativa infertilizante era 0,1% para o timol (principal componente do tomilho), 0,05 ‰ para o eugenol (principal componente do cravo) e de 0,4% para a essência de menta. Esta atividade é maior que a do fenol e guaiacol, eficazes a dose de 0,8 ‰. A título de indicação, as essências de limão, lavanda, nardo, hissopo, são eficazes a 0,2% as essências de manjerona, laranja, niaouli a 0,4% todas igualmente superiores ao fenol e guaiacol.

Continue reading


Você Tem Medo de Alguma Coisa


Trauma, Complexo ou Fobia

Las Fobias: Agora, já tendo maiores esclarecimentos sobre as energias da nossa estrutura bio-psico-espiritual, vamos nos adentrar no estudo dos traumas, complexos e fobias.

Qual de nós não possui algum trauma, complexo ou fobia? Tais DISFUNÇÕES DA ENERGIA PSÍQUICA nos causam inúmeros sofrimentos. Observem bem, estas disfunções estão basicamente na ENERGIA PSÍQUICA, circulante em nosso organismo, ou mais propriamente, naquilo que os esoteristas e místicos chamam de CORPO ASTRAL, ou seja, O CORPO DAS EMOÇÕES. Note que um complexo, trauma ou fobia possui, fundamentalmente, fortes cargas emotivas. Cremos que, certamente, você quererá saber o que fazer para combatê-los. Passaremos as instruções mais adiante; quanto aos resultados, dependerão de seus esforços.

Nos grandes centros urbanos, atualmente, é muito raro encontrar uma pessoa perfeitamente equilibrada psicologicamente. Quase todos padecem deste ou daquele problema nervoso. As pessoas hipersensitivas e bastante tensas são as vítimas mais frequentes.

Existem alterações nervosas causadas pelo esforço violento e stress excessivo das condições da vida moderna. Há determinadas alterações comportamentais de leve efeito que os poucos que a possuem não comentam , com  receio de serem escarnecidos. Na verdade, quase todas as pessoas com sistema nervoso ultra-sensível possuem certos hábitos bastante excêntricos. Os médicos conhecem perfeitamente tais manifestações, classificando-as com nomes científicos complicados.

Uma grande quantidade de pessoas sofrem de “folie du doute” (mania de dúvida). Este comportamento produz no indivíduo uma incapacidade de resolver as situações mais insignificantes da vida, como simplesmente decidir qual dos dois pés usar ao atravessar uma porta. Há pessoas com dúvidas tão atrozes que nem sequer sabem para que lado devem se mexer. Este ponto extremo da doença raramente se  manifesta.

Continue reading