Como Pode Ser um Sonho Premonitório


Sonhos, Descobertas e Revelações

Boa noite e bons sonhos!:

Você precisa saber que os sonhos não são fantasias sem qualquer aplicação.  Os sonhos se revestem de manifestações que, às vezes, nos trazem soluções ou revelações as quais não conseguimos encontrar acordados.  Vamos descrever algumas delas para sua reflexão.

Elias Howe

 Elias Howe foi um inventor americano que descobriu o processo mecânico do coser.  Durante muitos anos ele procurou descobrir o modo de costurar mecanicamente, mas todas as tentativas resumiam-se em fracasso.  Certa noite ele sonhou que foi capturado por tribos selvagens. Os indígenas deram-lhe um ultimato: ou ele inventava a máquina de costura mecânica ou então seria morto.  Howe sentiu-se incapaz de resolver o problema, os silvícolas ergueram suas lanças para matá-lo, mas quando elas vinham em sua direção notou que cada uma delas continha, na ponta, um furo semelhante ao olho humano.  Ao despertar, de imediato, veio-lhe a memória a estranha lança com um orifício na ponta.  Eureca!  ele encontrou a resposta para o problema.  Concebeu uma agulha cuja ponta penetrante era furada e estava inventada a máquina de costura automática.

Kekulé

August Kekulé - Wikipedia, the free encyclopedia:

Friedrich August Kekulé  foi um químico alemão que descobriu a fórmula estrutural do benzeno.  Embora estivesse pesquisando o assunto a um certo tempo, o químico não encontrava a solução.  Certa noite sonhou que os átomos encarregavam-se de uma estranha dança e transformavam-se repentinamente numa cobra que mordia sua própria cauda.  Ao despertar, repentinamente lhe veio a compreensão da estrutura que procurava e que por sua vez tinha a forma de um anel.  Esta descoberta foi a chave para a fabricação de corantes sintéticos que revolucionou o campo da Química Orgânica.

Continue reading


O Enigma Chamado Consciência


Um Pouca Mais de Consciência

Increasingly people within spiritual circles are becoming aware of, and speaking out about, "energetic implants" in our energy fields. Implants are prevalent within most, if not all, human beings. They've been used as a tool by Opposing Consciousness in the 'dumbing-down' of humanity. So what are energetic implants? How do they work? Where did they come from? And most importantly, how do we remove them? By Contributing Writer Open: A experiência tem comprovado até a saciedade que a CONSCIÊNCIA é o instrumento fundamental para a revelação dos sonhos.  Mas para saber usar esse instrumento torna-se indispensável, inicialmente, conhecê-lo mesmo que teoricamente.

O termo consciência origina-se do latim “conscientia“, de “cum” indicando simultaneidade e “scientia” significando ciência. A Psicologia a define como a função pela qual conhecemos a vida interior. É o conhecimento de nossos estados psicológicos à medida em que eles se desenrolam em nosso interior.

Os conceitos da Psicologia atual são insuficientes para definir claramente o que é consciência. Em síntese, não se sabe. Será possível definir CONSCIÊNCIA objetivamente?

Somente aquele que possui CONSCIÊNCIA OBJETIVA pode  compreendê-la e definí-la.  Chegamos a um beco sem saída, porque a grande maioria da humanidade não possui consciência objetiva, portanto não está capacitada a compreendê-la. O percentual médio de consciência da humanidade é de cerca de 3%. Onde estão os  97% restantes? Estão condicionados nos apegos, defeitos, imperfeições, complexos, orgulhos, luxúrias, problemas, ressentimentos, vaidades, gulas, arrogâncias, cobiças, invejas, pecados ou, sinteticamente, nos EUS ou AGREGADOS PSICOLÓGICOS.

Sob o ponto de vista prático, a consciência é uma espécie de “dar-se conta interiormente”, não tendo nada a ver com as atividades do pensamento ou da mente. É uma tomada de conhecimento de si mesmo. É a percepção de QUEM SE É, de ONDE SE ESTÁ e o QUE SE FAZ. Após este estado, compreende o que sabe, o que não sabe e o que precisa aprender. Somente a própria pessoa será capaz de saber se, de fato, está ou não CONSCIENTE em certo momento. Logicamente, apenas o próprio indivíduo pode aperceber se sua consciência existe ou não naquele instante. Portanto, é impossível para qualquer pessoa avaliar se a consciência do outro está ou não ausente. As manifestações exteriores são impróprias para nos certificarmos se há ou não a presença da consciência em dado momento.

Continue reading


Tarologia: Cuidado com os Enganadores


Tarologia

Vidente fotoEste é a última lição deste Curso de Tarot ou Livro de Thot, contudo o saber não se esgota aqui. Até pelo contrário, tudo começa deste ponto em diante. Você conheceu um livro de sabedoria milenário, mas fica uma pergunta: será que você saberá usá-lo com sapiência? Só você mesmo terá a resposta. Nosso dever é ensinar-lhe a aplicar inteligentemente o ensinamento para o seu progresso, principalmente o espiritual.

O objetivo básico desta lição é ministrar-lhe vários métodos para a consulta do Tarot. Porém, é preciso que você tenha compreendido profundamente cada lâmina descrita. Antes de nos adentrarmos nas explicações das técnicas de tiragem, é conveniente levar em consideração tudo o que foi esclarecido nos Taropraxis.

A seguir, daremos algumas informações adicionais sumamente importantes.

CUIDADO COM OS CHARLATÃES

Infelizmente, há abundante literatura sobre este assunto, que nada vale. Muitas pessoas, no afã de ludibriar a boa fé alheia, se intitulam tarólogas, mestras, consultoras, etc., sem na verdade conhecerem os mistérios deste sistema de antecipações.

Qualquer pessoa pode ir a uma livraria, comprar um livro de Tarot, lê-lo, adquirir um baralho e sair por aí fazendo previsões sem estar capacitada. Os resultados serão catastróficos, pois a pobre criatura nem sequer sabe com que tipo de energia está lidando.

Acontece que o Tarot é, em linguagem simples, um espelho mágico onde buscamos ver os acontecimentos futuros. O reflexo premonitório que vemos nas lâminas é função direta do consultante. Se o indivíduo é um charlatão, embusteiro ou enganador, ele poderá manobrar as cartas, mas não obterá respostas confiáveis.

Continue reading


Emoções Causam Doenças e até Câncer


Corpo, Emoções, Mente e Espírito Faz Parte de um Todo Chamado Ser Humano

Mais eficiente que a memória do computador, seu corpo registra tudo que aconteceu com você desde a infância até agora. #universonatural #mergulhointerior #limpezaenergetica: A presente lição é apenas um breve resumo do material exposto em nosso Curso de Formação em Terapia Floral e no Curso de Anatomia para Terapeuta. Caso você mais interesse no tema recomendamos se inscrever nos mencionados cursos onde há abundantes informações acerca de como as emoções e pensamentos podem gerar distúrbios orgânicos. O autor do curso acredita que qualquer terapeuta de qualquer área tradicional ou alternativa deve conhecer as relações entre doenças e o psiquismo. A Psicossomatologia ou Psicossomática visa objetivamente traçar um paralelo entre as doenças do corpo e suas correlações emocionais, mentais e espirituais.

Corpo, emoções, mente e espírito faz parte de um todo chamado ser humano. Para analisar uma enfermidade física sempre se deverá levar em consideração o estado interior do indivíduo. Dr. Bach em seu livro “Os Remédios Florais de Bach” Capítulo VIII,  afirma que:

“A escola médica do futuro não se interessará em particular pelos resultados finais e produtos da doença, não dará muita importância às lesões físicas em si, tampouco administrará drogas e produtos químicos apenas no intuito de atenuar nossos sintomas, mas, compreendendo;…”

Não podemos separar as doenças físicas das psíquicas uma vez que uma atua sobre a outra.

Dr. Lawrence E. Lamb, destacado cardiologista americano, no prefácio do livro “Fenômenos Psicossomáticos” (José Olympio Editora, Rio de Janeiro, 1974) de autoria de Howard R. e Martha E. Lewis diz que:

 “É um erro admitirmos que, sendo uma disfunção física causada por um determinado mecanismo, ela não possa ser igualmente desencadeada por outro”.

Continue reading


Controle Mental de Massas


Lavagem cerebral

A lavagem cerebral, lavagem de cérebro, reforma de pensamento ou reeducação é qualquer esforço constituído visando a mudar certas atitudes e crenças de uma pessoa – crenças estas consideradas indesejáveis ou em conflito com as crenças e conhecimentos das outras pessoas – utilizando-se, para tal, de métodos agressivos, como cansaço, substâncias químicas e persuasão, aplicados sobre pessoas que estão privadas da livre determinação de sua vontade (como prisioneiros de guerra, por exemplo). Por meio da lavagem cerebral, indivíduos passam a ter opiniões que não teriam se estivessem em condições de plena liberdade.[1] [2]

Representação satírica da lavagem cerebral.

Motivos para a lavagem cerebral podem incluir o objetivo de afetar o pensamento e comportamento do indivíduo que o sistema de valores padrão considera indesejável. A lavagem cerebral é, atualmente, um elemento forte na cultura popular globalizada e, muitas vezes, é retratada como uma teoria conspiratória.

Em 1987, a Câmara de Responsabilidade Social e Ética para a Psicologia (BSERP) da American Psychological Association (APA), provisoriamente, recusou o reconhecimento da lavagem cerebral, pela carência de informações científicas sólidas a seu favor, embora o debate continue em curso.[3]

Terminologia

As palavras “reeducar” e “reeducação” já existiam com vários sentidos desde 1808, mas foi na década de 1940 que passaram a expressar especificamente conotações políticas. A expressão “lavagem cerebral” foi utilizada pela primeira vez no idioma português na década de 1950. Formas anteriores de coação por persuasão ocorreram, por exemplo, durante a caça às bruxas e no decurso de dos julgamentos contra os “inimigos do Estado” na União Soviética, mas a expressão propriamente dita surgiu nas primeiras décadas da República Popular da China, sendo usada para uso interno na luta contra os “inimigos do povo” e invasores estrangeiros.

Continue reading


O Significado da Rosa


Rosa: Visão Metafísica

Diz a Mitologia Grega que Zeus, o Pai dos Deuses, Fotos, charges e tirinhas | GGN: disse a Aquiles que se todas as flores quisessem eleger uma rainha, seguramente a ROSA ocuparia este posto.

A ROSA é a festa do céu e o adorno da terra. Ela perfuma os campos e embeleza os jardins. Sua fragrância é inebriante e sua essência valiosíssima.

Conta-se que em um tempo remoto os sacerdotes que edificaram os Templos elegeram a Rosa como seu símbolo. Os próprios maçons a usaram intensamente em certa época.

No Castelo de Heidelberg, na Europa, encontramos sobre a porta principal CINCO ROSAS e um esquadro, logo acima.

Na Catedral de Santiago do Chile observa-se uma cruz com SETE ROSAS, provando que os sacerdotes construtores pertenciam à organização da Cruz e da Rosa.

Na época das Cruzadas muitos castelos foram eregidos no caminho para a Terra Santa e todos tinham em comum uma ROSA.

No Convento grego de São Jorge, encontramos a ROSA esculpida em vários lugares.

O historiador grego Heródoto conta que na Babilônia foram feitas ROSAS de prata como símbolo do atributo divino e como oferenda de amor aos Deuses.

Segundo a Mitologia Grega, a primeira ROSA saiu da espuma do mar, quando Afrodite, ao ver Adonis ferido, procurou socorrê-lo. Neste momento, um roseiral branco brota do meio das águas. Afrodite se fere com um espinho, tingindo com seu sangue às ROSAS, e que daí em diante tomaram a cor vermelha.

Platão conta que as crianças, quando eram cuidadosas e aplicadas, recebiam como presente uma coroa de ROSAS. De forma análoga, ocorria com os antigos egípcios, em certo período.

Plínio afirma que em sua época os carregamentos de rosas eram trazidos da Espanha, Milão e Alexandria para adornar as mesas.

Continue reading


Sois Fanaticus


O Perigo do Fanatismo

Do latim “fanaticus”, que vem de “fanun”= templo ou lugar sagrado. O “fanático” era o possuído pelo deus. Veja a que ponto a degeneração humana atingiu. No passado, chamar alguém de fanático era um elogio.

Hoje, o fanatismo é uphoto manipulation: m pavoroso defeito que inferniza a vida de todos e em todas as partes. Já que o fanático não tem país, raça, cor, religião, etc., pode aparecer em qualquer lugar.

O fanatismo é a adesão passional a uma pessoa ou idéia, de maneira tão forte e marcante que inibe, em muitos casos, as funções normais de escolha. Cria uma obsessão por algo ou alguém.

CARACTERÍSTICAS FUNDAMENTAIS DO FANÁTICO

O fanatismo desperta na pessoa uma disposição à auto-imolação ou auto-sacrifício, que o leva a dedicar-se ao objeto de seu fanatismo até sua própria destruição. Enquanto o herói é capaz do mesmo sacrifício com lucidez e grandeza, sabendo evitar os sacrifícios inúteis e puramente teatrais, o fanático se revolta contra a própria evidência, pela causa em que está empenhado e aceita, apaixonadamente, o sacrifício total, mesmo que a causa seja perdida.

O fanatismo apresenta afinidades marcantes com o fenômeno da histeria e do masoquismo. Quando o fanatismo atinge uma dimensão social, ou seja, torna-se um fenômeno coletivo, conforme vamos ver mais adiante, pode levar um grupo, e mesmo um país inteiro, a impensáveis loucuras.

No Brasil temos exemplos como a Guerra dos Canudos, no Nordeste e a dos Muckers, no Sul.

Ao nível mundial, encontramos as atrocidades geradas pelo Nazismo de Adolf Hitler, durante a 2a. Guerra Mundial.

O fanatismo encontra um campo de cultura mais propício nos baixos níveis de desenvolvimento, onde é mais freqüente a pequena capacidade de crítica e análise.

Com relação à própria proposta, o fanático fica coibido de senso crítico e análise. Quem é fanático por alguma coisa ou mesmo por determinada pessoa, só vê nela qualidades e a superestima, numa exaltação entusiástica doentia. Quem é fanaticamente contra, só vê defeitos, combatendo-os com ódio implacável. Conclusão: o fanático é fabricador de deuses ou vítimas.

Continue reading


O Que a Terapia de Regressão Pode Fazer por Você- Parte 2


Terapia de Regressão (TVP): Benefícios e Vantagens

A teoria da reencarnação é um método de explicação da problemática convincente para o cliente.

Quando o indivíduo aceita a existência da lei do karma o processo de aceitação de seus males torna-se amenizado e suportável. Ele sabe que os seus sofriSign of past life: Fears and phobiasmentos foram gerados pelos seus próprios atos praticados no passado.

Partindo do ponto de vista de que a TVP utiliza as experiências de vidas passadas que ficaram retidas na memória do paciente, deduz-se que todos os outros métodos terapêuticos lidam com os efeitos. Pois as verdadeiras causas originais dos sintomas e enfermidades estão fora do seu alcance. Estamos nos referindo a doenças ou problemas originados  em precedentes reencarnações. Haja vista que há complicações orgânicas, emocionais ou sociais produzidas por inconsciência, imaturidade ou irresponsabilidade do indivíduo. Assim há problemas kármicos e não kármicos, embora a experiência tenha nos mostrado que a esmagadora  maioria dos sofrimentos humanos seja de origem kármica. Vale lembrar que o estudo do karma é complexo e profundo. Tirar conclusões precipitadas nesse tema é um desatino.

É possível superar o karma?? Afirmativo. Caso contrário não teria sentido a reencarnação e muito menos a TVP. Lembramos que o karma é energético ou quântico. O “quantum” gerado produz um dado efeito. Alterando-se a freqüência vibracional do “quantum” gerador muda-se o efeito. Cada ato, pensamento, palavra, sentimento ou qualquer ação produzida pelo homem ou pela mulher produz um “quantum”. A soma desses “quanta” (“quantuns”) se condensará em efeitos orgânicos, psíquicos, mentais, espirituais, sociais, econômicos, etc.

Alterando-se CONSCIENTEMENTE esses “quanta” (“quantuns”) muda-se o efeito, aliviando, superando ou eliminando os sofrimentos orgânicos, psíquicos, espirituais, sociais, econômicos, etc.

A TVP produz resultados mais estáveis e longos do que as psicoterapias usuais.

Qualquer psicólogo, psiquiatra ou analista sabe que a taxa de recaída dos pacientes tratados com as terapias convencionais é muito elevada. Na TVP a experiência de milhares de terapeutas regressionistas demonstra que os resultados positivos no tratamento são mais estáveis e longos. Confira nas obras de Netherton, Brian Weiss, Dethlefsen, Wiesendanger, etc.

Continue reading


O Que a Terapia de Regressão Pode Fazer por Você- Parte 1


Terapia de Regressão (TVP): Benefícios e Vantagens

A The Shanti Devi caseTVP demonstra ser capaz de aliviar os sofrimentos psíquicos, emocionais, e psicossomáticos.

Nossa experiência pessoal tem demonstrado até a  saciedade, a eficiência da aplicação da TVP em situações nas quais as características psicossomáticas desafiavam qualquer profissional clínico. Nem sempre a terapia regressiva resolve por completo o conflito, mas sempre ocorrerão alívios suficientes para permitir melhor relacionamento do paciente com ele mesmo ou com os demais.

A abrangência da TVP é, inegavelmente maior do que as terapias tradicionais. Em muitos casos demonstrou obter bons resultados em várias formas  crônicas de enfermidades na qual outros profissionais fracassaram.

No Departamento de Psicologia Clinica da Universidade de Munique, Alemanha, foi utilizada a terapia regressiva em 43 pacientes que procuraram ajuda deste setor. Um em cada dois pacientes tornaram-se inaptos para o trabalho por causa de suas enfermidades. Além do mais só podiam sair de casa acompanhados. Do grupo, 51% procuraram médicos, um terço usava rotineiramente  antidepressivos, 14% tinha sido internado em clinicas médicas e 25% já tinha sido submetidos a psicanálise durante vários anos. O resultado foi muito bom. O mais importante na terapia regressiva é que ela independe da teoria da reencarnação ser verdadeira ou não para o paciente. Há alguns incrédulos do processo reencarnatório obtendo melhores resultados do que aqueles que acreditam em vidas anteriores. É um paradoxo, entretanto a experiência prática de muitos profissionais regressivos demonstra isso irrefutavelmente.

A TVP é personalizada porque é o próprio cliente quem determina seus objetivos terapêuticos.

Dr. Perry London em sua obra intitulada “The Modes and Moral of Psychotherapy” – Os Modos e a Moral da Psicoterapia (Holt, Rinehart e Winston, Nova Iorque, 1964) afirma que: …”Ao contrário de um técnico, um psiquiatra ou psicólogo não pode evitar estimular seus pacientes com o seu próprio modelo de trabalho chegando até mesmo a impô-los. Em geral o paciente encontra-se em dificuldade para decidir como quer mudar o seu comportamento. Durante o diálogo com seu psiquiatra, seus desejos, suas carências se tornam mais evidentes. Por essa razão suas necessidades são descobertas na presença de uma pessoa que é considerada sábia e capacitada. Graças a isso a influência do psiquiatra sobre o paciente é muito significativa. Por fim o paciente passa a desejar muitas coisas que o psiquiatra  considera desejáveis.”.

Continue reading


Inteligência Artificial: Um Futuro Perigoso


Inteligência Artificial: O Que é

Neuroscientists Are Making an Artificial Brain for Everyone | The key to Nara’s technology is personalization, Wilson says. Nara is essentially a matchmaking system that finds and understands entities in any data set, then builds a massive knowledge graph that shows weighted links between those entities. [Neuroscience: http://futuristicnews.com/tag/brain/ Artificial Intelligence: http://futuristicnews.com/tag/artificial-intelligence/]: Inteligência artificial (por vezes mencionada pela sigla em inglês AIartificial intelligence) é a inteligência similar à humana exibida por mecanismos ou software. Também é um campo de estudo acadêmico. Os principais pesquisadores e livros didáticos definem o campo como “o estudo e projeto de agentes inteligentes”, onde um agente inteligente é um sistema que percebe seu ambiente e toma atitudes que maximizam suas chances de sucesso. John McCarthy, quem cunhou o termo em 1956 (“numa conferência de especialistas celebrada em Darmouth Colege” Gubern, Román: O Eros Eletrónico), a define como “a ciência e engenharia de produzir máquinas inteligentes”. É uma área de pesquisa da computaçãodedicada a buscar métodos ou dispositivos computacionais que possuam ou multipliquem a capacidade racional do ser humano de resolver problemas, pensar ou, de forma ampla, ser inteligente. Também pode ser definida como o ramo da ciência da computação que se ocupa do comportamento inteligente[1] ou ainda, o estudo de como fazer os computadores realizarem coisas que, atualmente, os humanos fazem melhor.[2]

O principal objetivo dos sistemas de IA, é executar funções que, caso um ser humano fosse executar, seriam consideradas inteligentes. É um conceito amplo, e que recebe tantas definições quanto damos significados diferentes à palavra Inteligência.[3] Podemos pensar em algumas características básicas desses sistemas, como a capacidade de raciocínio (aplicar regras lógicas a um conjunto de dados disponíveis para chegar a uma conclusão), aprendizagem (aprender com os erros e acertos de forma a no futuro agir de maneira mais eficaz), reconhecer padrões (tanto padrões visuais e sensoriais, como também padrões de comportamento) e inferência (capacidade de conseguir aplicar o raciocínio nas situações do nosso cotidiano).[3]

O desenvolvimento da área começou logo após a Segunda Guerra Mundial, com o artigo “Computing Machinery and Intelligence” do matemático inglês Alan Turing[4] , e o próprio nome foi cunhado em 1956.[5] [6] Seus principais idealizadores foram os cientistas Herbert Simon, Allen Newell, John McCarthy, Warren McCulloch, Walter Pitts e Marvin Minsky, entre outros. A construção de máquinas inteligentes interessam à humanidade há muito tempo, havendo na história tanto um registro significante de autômatos mecânicos (reais) quanto de personagens místicos (fictícios) construídos pelo homem com inteligência própria, tais como o Golem e o Frankenstein. Tais relatos, lendas e ficções demonstram expectativas contrastantes do homem, de fascínio e de medo, em relação à Inteligência Artificial.[7] [8]

Apenas recentemente, com o surgimento do computador moderno, é que a inteligência artificial ganhou meios e massa crítica para se estabelecer como ciência integral, com problemáticas e metodologias próprias. Desde então, seu desenvolvimento tem extrapolado os clássicos programas de xadrez ou de conversão e envolvido áreas como visão computacional, análise e síntese da voz, lógica difusa, redes neurais artificiais e muitas outras. Inicialmente a IA visava reproduzir o pensamento humano. A Inteligência Artificial abraçou a ideia de reproduzir faculdades humanas como criatividade, auto-aperfeiçoamento e uso da linguagem. Porém, o conceito de inteligência artificial é bastante difícil de se definir. Por essa razão, Inteligência Artificial foi (e continua sendo) uma noção que dispõe de múltiplas interpretações, não raro conflitantes ou circulares.

Continue reading